`
 

 

 

 
  Colunistas
 
 
 
 
 
 

UM PEDIDO A MARCHEZAN

Os moradores do bairro Menino Deus e todos os milhares de motoristas que passam pela Rua José de Alencar pedem ao novo prefeito que determine fim daquela ciclovia que atravanca e cria enormes congestionamentos em frente ao Hospital Mãe de Deus.


Logo, não se trata de um pedido de emprego, mas de uma ação de bom senso. Apenas de bom senso, algo que faltou à EPTC quando inventou essa ciclovia inútil, mas de resultados negativos para o fluxo de veículos que trafegam por ali.

O trânsito de Porto Alegre é dos mais complicados entre as capitais brasileiras, perdendo apenas para São Paulo. Não temos avenidas amplas e a base do mapa urbano de nossa capital pouco se modificou. Quem mora na Zona Sul, por exemplo, e precisa da Rua José de Alencar para chegar ao Viaduto  D. Pedro I (viaduto da Marli) e pegar a Avenida Beira-Rio, enfrenta um congestionamento que não existia até a inoportuna ciclovia.

A José de Alencar, em frente ao Hospital Mãe de Deus , afunila dando passagem para um carro por vez, já que ali existe um ponto de táxi e agora com a ciclovia não há como dar vazão ao fluxo nos horários de pique.

É claro que o prefeito Marchezan Júnior que tomou posse no domingo deve estar com sua abarrotada de pedidos, mas no caso da José de Alencar basta um telefonema seu à nova direção da EPTC mandando desativar a ciclovia e o problema fica resolvido em 24 horas.

O mesmo vale para a ciclovia no trecho da Rua Sete de Setembro entre a Caldas Junior e a Bento Martins. Ali, além da ciclovia tem estacionamento dos dois lados da rua.

São decisões simples que irão ajudar a desafogar o tráfego de veículos nas citadas ruas importantes de nossa cidade.

Dá uma força aí, prefeito Marchezan! Algumas besteiras da EPTC podem ser corrigidas com meia dúzia de telefonemas do senhor aos “especialistas” do trânsito de Porto Alegre.


CASSIO TROGILDO

O novo presidente da Câmara de Vereadores de Porto Alegre, Cássio Trogildo (PTB), conduziu com firmeza a primeira sessão da nova legislatura. Não deixou a barulhenta oposição tomar conta da sessão que já ensaiava pirotecnias regimentais perturbando o andamento dos trabalhos.

JUDICIALIZAÇÃO (1)

A oposição identificada hoje no Congresso, na Assembléia Legislativa e na Câmara de Porto Alegre, basicamente pelo PT e pelo PSOL se comporta com um inconformismo de maus perdedores.

JUDICIALIZAÇÃO (2)

Derrotados em decisões plenárias e democráticas apelam para o Poder Judiciário. O Poder Judiciário sempre será um lugar sagrado para resolver questões constitucionais ou de direitos agredidos.  Nunca, no entanto, para alterar votações plenárias e demoráticas dos legislativos brasileiros. 

FORA SARTORI!


A vereadora Fernanda Melchionna (PSOL) não podia ter sido mais inconveniente ao levantar uma bandeira com a inscrição “Fora Sartori”, quando foi empossada. Levou uma sonora vaia. Muito bem dada.

BOA DECISÃO
 

Entre as decisões tomadas pelo novo prefeito está a das revisões dos valores dos contratos em andamento com a Prefeitura, mas acima de tudo é bom ficar de olho nas novas licitações e nos textos dos editais.